Entrevista a Sónia Fertuzinhos
  • 17.06.2021
  • PS
  • Braga
  • XIV Legislatura

17.06.2021

XIV Legislatura

Braga

PS

Sónia Ermelinda Matos da Silva Fertuzinhos

A deputada Sónia Fertuzinhos, do Partido Socialista (PS) juntou-se a’Os 230, nesta entrevista, para realçar a importância e as vantagens da democracia participativa.

Está certa de que “a democracia é e tem de ser uma estrada com dois sentidos” para que possa haver uma verdadeira representatividade da população, onde é fundamental existir interação entre agentes políticos e cidadãos com vista ao desenvolvimento da sociedade.

O desenvolvimento socioeconómico da aldeia para o país

Com o passar dos anos, a deputada nota uma clara mudança em Santa Eufémia de Prazins, a aldeia de Guimarães que a viu crescer. Se, em 1991, os dedos das mãos não chegavam para contar aqueles que terminavam a escolaridade obrigatória e iam para a universidade, “hoje, os dedos de uma mão também não chegam para dizer quantos não vão. Se não é para a universidade, é para seguirem uma qualificação acima do 12º ou que no 12º ano têm um ensino profissional, ou pelo menos, concluem”.

Sónia Fertuzinhos sente que só conheceu verdadeiramente a sua aldeia quando participou nos Censos. Foi nesta experiência que pode descobrir uma realidade social que a impressionou bastante e, mais tarde, lhe deu ferramentas para realizar um levantamento socioeconómico da aldeia. Com ele, apontou uma “realidade de grande insucesso escolar, de alcoolismo, de pobreza”, deu conta da presença de incesto, devido ao reduzido número de habitantes, de violência doméstica, entre outros factos que são exemplos da causa do choque que sentiu com a imersão social desta contagem e caracterização da população.

Confessa, por isso, que tem um olhar sobre o desenvolvimento de Portugal muito com base nas suas próprias vivências em Santa Eufémia de Prazins e nas mudanças e evoluções que pode presenciar. Assim, admite que há uma “transformação muito grande, quer do ponto de vista daquilo que hoje a freguesia tem, que torna efetivo, ou pelo menos mais efetivo do que nunca o princípio da igualdade de oportunidades, subjacente ao princípio da igualdade e de uma coesão social também maior”.

Os momentos marcantes da Assembleia da República (AR)

Quando questionada em relação aos melhores momentos passados na AR, não hesita em sublinhar o envolvimento “na luta pela despenalização da interrupção voluntária da gravidez”. Marca esta causa como a memória mais positiva e entusiasmante, ligada àquele que considera um passo importante para a evolução da sociedade, juntamente com a luta pela “igualdade entre homens e mulheres”.

Quanto a este segundo momento, lembra que quando chegou ao parlamento havia muitos lugares vagos numa comissão formada com o sentido do desenvolvimento da igualdade entre homens e mulheres. Na altura, sentiu o desprezo dos demais em relação ao sentido e interesse deste trabalho, mas foi precisamente o facto de a terem desincentivo à escolha desta área que a fez querer explorá-la, de forma a perceber esta questão. Hoje, afirma com assertividade que a temática “é uma condição de desenvolvimento das sociedades” e encontrou aqui o seu espaço e visibilidade para intervir no parlamento.

A mensagem aos portugueses

Se há coisa que Sónia Fertuzinhos tenta explicar, sempre que lhe pedem para fazer um apelo aos cidadãos, é que com a participação de todos contribui-se “para um escrutínio, que não é um escrutínio pela negativa” dos profissionais políticos. Se não for desta forma, tem a noção que “é o caminho para que os partidos, os representantes, os responsáveis políticos sejam menos estimulados para fazerem bem o seu trabalho”.

Por isso, marca que “a política, os partidos, as instituições políticas do nosso país, serão sempre tão melhores quanto mais os cidadãos e as cidadãs se envolverem, participarem e exigirem”.

Artigo escrito por Joana Teles Ferreira, colaboradora do projeto Os 230

Nome Completo

Sónia Ermelinda Matos da Silva Fertuzinhos


Data de Nascimento

12/01/1973


Habilitações Literárias

  • Licenciatura em relações internacionais-económicas e políticas
  • Pós-graduação em estudos europeus


Profissão

Licenciada em Relações Internacionais - Económicas e Políticas


Comissões Parlamentares

  • Comissão de Assuntos Europeus [Suplente]
  • Comissão de Saúde [Coordenador GP;Coordenador GP]
  • Comissão de Trabalho e Segurança Social [Suplente]